Fotografias Estágio Sensei Nebi Vural em Coimbra. Outubro 2012.

Já estão na página do smugmug da União Portuguesa de Aikido as fotografias do estágio de outubro com o Sensei Nebi Vural.

Se ainda não conhecem, não percam a oportunidade de ver as galerias disponíveis na página do smugmug da UPA. Todas as imagens foram tiradas por Aikidocas da UPA que souberam levar para a fotografia o hábito, forjado no tatami, de fazer sempre mais e melhor. O resultado está à vista e é bonito de se ver.

Estágio Stéphane Goffin – 10 de Novembro

No fim de semana passado visitei o dojo da Várzea de Sintra da TenChi por ocasião do estágio de Stéphane Goffin.

Cruzei-me pela primeira vez com este professor em 2007 quando fui ao mesmo dojo fazer um estágio com Christian Tissier e fiquei agradavelmente surpreendido com a qualidade do Aikido praticado.

Sabendo que ia encontrar praticantes de qualidade e com um bom Aikido, lá fui no sábado à tarde à procura de um boa aula.

Já há algum tempo que não frequentava estágios de outras associações, estou mais habituado a ver os praticantes dessas associações a virem aos estágios do Sensei Nebi Vural, numa dessas ocasiões lembro-me de ouvir o Sensei Nebi a elogiar a coragem desses praticantes por virem a uma casa que não é a sua praticar um Aikido que lhes pode ser estranho. Na altura não me apercebi do que ele falava. Hoje acho que sei.

Se cada escola tem a liberdade para efectuar os seus rituais da forma que mais lhe convém, é natural que estes sejam diferentes. Na UPA o professor faz a meditação no início da aula virado para os alunos e de costas para o kamiza, sei (contaram-me) que isto vem  do fato do Mestre Tamura ao chegar a França ter sentido a necessidade de se sentar de frente para os alunos para lhes corrigir a postura e etiqueta. Na TenChi o ritual é outro, totalmente diferente, isto levou a que  tenha perdido aquele momento já automático de recolhimento para a prática, quando relaxamos e abrimos a nossa “porta” para o dojo, em vez de concentração, fiquei de olhos bem abertos a tentar perceber quando é altura de sentar, levantar e fazer vénia.  Parece um pequeno pormenor, mas faz com que um praticante com um par de anos de prática se torne automaticamente num principiante que não reconhece as mais elementares normas de etiqueta. Primeira lição de humildade.

Lembro-me do professor Gérard Obelliane referir que um estágio de Aikido é como um oásis no deserto, quando lá chegamos temos de ter o cuidado de esvaziar a água que levamos nos cantis antes de os voltarmos a encher. Num estágio de Aikido temos de conseguir “esvaziar” o nosso reportório técnico, os nossos hábitos e vícios do corpo para melhor absorvermos o que o professor nos está a transmitir. Num estágio de outra associação e linha de Aikido conseguirmos esvaziar o nosso “cantil” é extremamente dificil (toda a vida fiz Aikido com alunos do Mestre Tamura e estava agora a treinar com um aluno do professor Christian Tissier) .

Feito o “reset”, tudo se torna diferente, difícil e estranho. Tornamo-nos uns principiantes que não percebem o que estão a fazer e como estão fazer. Ao reconhecermos que uma determinada técnica não está a funcionar, a tentação é dizer que o professor não percebe nada daquilo e voltarmos ao nosso reportório técnico, mas, lição de humildade nº 2, muito provavelmente, quase de certeza, que o professor Stéphane Goffin saberá umas quantas coisas que eu não estarei certamente a perceber. Começamos a aula como principiantes e levamos toda a aula como principiantes.

Para mim, é extremamente desafiante este sentimento de presenciar o desconhecido. Leva-me a trabalhar com mais atenção ao pormenor, à postura, à base. Saí da aula de sábado à tarde com mais perguntas do que respostas e com muita vontade de voltar a praticar este Aikido, nem que seja para tirar a limpo todas as questões que me surgiram. Confesso que embora tendo questões, não as coloquei ao professor Stéphane Goffin porque não queria ser entendido como fanfarrão, questionando a eficácia e a forma encontrada para resolver os problemas encontrados na execução das técnicas. Dei-me satisfeito por ter sido extremamente bem recebido, as questões ficarão para outras oportunidades.

Claro que há abordagens que não subscrevo e que fazem a diferença entre as linhas, por exemplo, o facto de se “apertar” a imobilização de nykkio ser considerado radical e por isso o tori se coloca numa posição em que mantendo a imobilização não tem como objetivo magoar o “uke”. Eu não conheço imobilizações sem dor, e dentro de um Aikido que quer ter aplicação real, é importante que o tori saiba onde está a imobilização para que a possa aplicar mais tarde sem ter receio de partir um braço. O Sensei Nebi Vural Diretor Técnico da UPA tem responsabilidades de ensino a forças de segurança, na UPA temos muitos colegas que trabalham nessas áreas e não lhes passa pela cabeça ter um Aikido que tem apenas como objetivo o estudo da técnica sem se preocupar com a eficácia máxima da mesma. Para passar 2 horas a estudar técnicas isto não é relevante, mas para praticar uma arte marcial é de vital importância.

Faço um balanço extremamente positivo da participação neste estágio. Agora que comecei a dar aulas, sinto falta de praticar com intensidade, e este estágio ou outro vão servir para manter o ritmo e ter horas em cima do tatami. A repetir numa próxima oportunidade.

Passagem testemunho

O site artedapaz.pt é recente. Nasceu em agosto deste ano para divulgar as aulas de Aikido, mas os posts que constam no blogue do site remontam a 2006.

Em 2006 iniciei um blogue sobre a prática do Aikido (http://www.aikido-porto.blogspot.pt) motivado pela necessidade de dominar uma ferramenta tecnológica (blogger) e para poder falar um pouco sobre o caminho que tinha iniciado na altura.

O blogue foi crescendo a par com a minha prática, estão lá posts referentes à grande parte das graduações que foi conseguindo, estágios que frequentei, reflexões e brincadeiras mais ou menos inocentes.

Em junho do ano passado decidi interromper o blogue. Participei na criação de uma nova associação de praticantes de Aikido, a União Portuguesa de Aikido (UPA), e infelizmente, as minhas opiniões públicas e transcritas no blogue acabaram por prejudicar todos os praticantes de uma associação, por isso decidi parar.

Mantenho em mim o sentimento que me levou a escrever muita coisa que me trouxe problemas. Contínuo a achar que é uma profunda falta de respeito próprio os praticantes de Aikido deixarem-se gerir por instituições que não cumprem o mínimo dos mínimos das suas obrigações, e não consigo aqui descrever o quanto me revolta ver praticantes de uma arte que visa o auto-conhecimento, libertação e realização do indivíduo, serem usados em benefício não sei bem de quê… ou melhor, até sei, mas já não o escrevo. Livre de obrigações associativas,  felizmente esta luta já não é a minha, estou disponível para continuar a escrever sobre o que realmente me apaixona, o Aikido, e quero começar por deixar aqui o meu apreço e profundo respeito por quem toma para si a responsabilidade de fazer o trabalho administrativo, chato, e invisível de toda uma associação. Grande abraço à direção da  UPA.

Levaram as circunstâncias que ao reiniciar o blogue tenha passado de aluno a professor de Aikido. Não foi um passo planeado, nem a resposta a um chamamento ou vocação, apenas comecei a dar aulas de Aikido para evitar o fecho do Dojo onde tenho praticado desde 2008. Aprendi há muito que antes de fazermos o que queremos, devemos começar por fazer o que precisa de ser feito. Era preciso um professor de Aikido e aqui estou eu.

Passei os posts do blogue Aikido-Porto para a página ArteDaPaz.pt, há aqui muito material para ver ou rever. Posso garantir que todo o material foi escrito sem pensar que um dia seria professor de Aikido.

Espero que gostem, e até já. Prometo mais posts para breve.

Estágio CT Dezembro 2012

Imagem

Está já disponível o cartaz para o próximo estágio da União Portuguesa de Aikido, sob a orientação dos mais altos graduados da associação. É já em Dezembro, em Almada, no Clube Lisnave. Os preços estão descritos em função de associado/não associado e a aula de sexta feira é gratuita! Lembramos igualmente que se repete a iniciativa da “Bolsa de alojamento”  (disponível nos eventos do facebook da UPA), para os interessados em acolher alguns amigos aikidocas em casa, vindos de fora.

Contamos com a vossa presença e participação!