Nebi Vural – Lisboa – Maio 2009

Extremamente positivo o balanço do estágio com o prof. Nebi Vural, foram 3 dias e cerca de 50 participantes se contarmos com a comitiva francesa.

O prof. Nebi Vural quando exemplifica a técnica tem sempre o cuidado de explicar a base, que serve para um principiante, o que vai desde 6º kyu até 1º Dan, e a partir daí a versão da mesma técnica que é exigida para 2º, 3º e 4º DAN, esta abordagem leva a que os principiantes percebam bem o que tenham que fazer e porquê, e os mais graduados têm a vantagem de perceberem de uma forma clara como é que a técnica evolui e o que lhes é pedido, esta abordagem só é possível devido à enorme qualidade do trabalho do prof. Nebi Vural, é importante referir que o professor após a exemplificação da técnica está disponível para corrigir grande parte dos alunos, percorrendo o tatami com a sua boa disposição e simpatia. Para uma associação que costuma ver os seus mais altos graduados verem a sua graduação atribuída de forma administrativa, é um alivio para os aikidocas perceberem qual o caminho da sua evolução técnica e que esta deixa de depender de um decreto administrativo mas sim da compreensão da técnica correspondente ao nível do praticante.

No final do estágio o prof. Nebi Vural transmitiu aos presentes que pratiquem Aikido com ou sem ele, mas que pratiquem sempre de forma alegre, com espírito de amizade, com respeito pelo individuo, e com honestidade para consigo mesmo, partilhou connosco a sua visão de que as artes de Budo servem para libertar o individuo, reconhecendo também que em Portugal há muito a fazer pelo Aikido.

Fica a foto de grupo, apenas com os resistentes que estiveram no ultimo dia do estágio.

Estágio Nebi Vural – Maio 2009 – 1ªs Impressões

Estou de partida para o 2º dia do estágio com o prof. Nebi Vural.

Depois da aula de ontem na Póvoa de St. Iria, onde o prof. rapidamente nos levou até às ultimas técnicas transmitidas no anterior estágio, registo aqui um comentário do Dido, o “nosso” búlgaro Aikidoca. “O Aikido do Nebi é real” e é isso que realmente impressiona, não é apenas a transmissão da base, ela está lá como estudo mas não se fica por aí, além da base técnica é transmitida a aplicação da técnica, e com isso o Aikido perde aquela impressão de dança coreografada, em que toda a gente está a tentar colocar o corpo na posição correcta para os cânones técnicos, e passa a ser uma arte marcial bem viva, e muito verdadeira porque toda a gente vê como é que funciona ou funcionaria numa situação real, claro que tudo é feito com a maior harmonia.

Foi bom ver tanta gente, não só da AKP mas também de outras associações a usufruirem do Aikido tal como ele é transmitido pelo Mestre Tamura, é esta abertura, este sucesso em fazer do Aikido uma grande familia onde todos possam estar em harmonia independentemente da sua linhagem, das suas escolhas, sem que sejam julgados ou tratados como Aikidocas de 2ª, que me faz acreditar estar a apostar na opção correcta. Além do mais o Nebi Vural é o professor que mais me impressionou até hoje.